Velório de Sexta

Como primeiro post para o blog, nada mais justo do que postar a primeira crônica que escrevi na vida: Velório de Sexta. Antes de lê-la, preciso contar a história que me levou a escrever este texto. Em 2012, enquanto estava no 1º ano do Ensino Médio, a professora de Oficina de Linguagens, Janaize Saraiva (Jana, te amo eternamente!), pediu para que escrevêssemos uma crônica a partir de uma notícia de jornal. Achei a metodologia massa, pesquisei muito e, a partir de uma notícia que encontrei na internet, escrevi Velório de Sexta, minha primeira crônica “oficial” e, lógico, tenho um carinho imenso por ela! Espero que gostem!


Sexta-feira tinha tudo para ser um dia normal. Trabalhar com aquele pingo de ansiedade no peito, só esperando a hora certa pra sair sem que o chefe percebesse, ir almoçar com a mulher, brincar com as crianças e depois jogar aquela boa e velha peladinha com os amigos. Sim, tinha tudo para ser perfeita.

Em uma sexta-feira treze, minha querida sogra inventa de morrer. Por que diabos isso foi justo acontecer justo numa sexta-feira? Afinal, a semana tem tantos dias!

O velório foi à tardinha e, como de costume, todos vestidos de preto, chorando, lamentando a morte do ente (não tão) querido. A velha, de tanta maquiagem, parecia mais uma drag queen do que uma morta. Nunca vi coisa tão feia em minha vida!

Embora minha mulher não parasse de soluçar um só segundo, eu só conseguia pensar nos benefícios da partida da criatura: enfim acabaram os almoços chatos de domingo, os sermões sobre como educar meus filhos e as intermináveis histórias sobre os ex-namorados de minha mulher.

Completamente imerso em meus pensamentos, não notei a quantidade de castiçais que estavam ao meu redor e, sem querer, mas sem querer mesmo, derrubei uma das velas no caixão, que pegou fogo.

Nunca presenciei uma cena tão engraçada em minha vida, enquanto todos gritavam “incêndio” ou, por incrível que pareça, “salvem a morta”, eu só conseguia rir. Minha sogra? Virou churrasco! Nessa vida ou nessa morte, que seja, tudo é possível.

OBS: Só para deixar claro que eu admiro e respeito muito o trabalho das drag queens. Acho, inclusive, um ato de coragem, uma vez que vivemos, ainda (e infelizmente), em uma sociedade marcada pelo preconceito. Assisto a um reality show americano chamado “RuPaul’s Drag Race” e AMO! Divirto-me horrores! Quando cfaço referência às drag queens no texto, estou falando especificamente do tipo de maquiagem que elas usam e que é bem “exuberante”, ok? A make up das drags é extremamente detalhista e costuma ser bem chamativa, artística e muito colorida! Beijos!!

Camila Petribú.

Um comentário em “Velório de Sexta

  1. Patrícia says:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk’ Sogra é fogo!!!

    Adorei, Mila!

    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *